ENTIDADES DE ARQUITETURA, EVENTOS, FNA, IAB, Luciano Guimarães, PRESIDÊNCIA, RECENTES, RELAÇÕES INTERNACIONAIS, UIA, UIA.2020.RIO|


 
O Rio de Janeiro está cada vez mais próximo de se tornar a primeira Capital Mundial da Arquitetura. A indicação ao título foi um dos temas discutidos nas reuniões realizadas na sexta-feira e no sábado, 2 e 3 de março, entre o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) e a missão da União Internacional de Arquitetos (UIA), que veio ao Rio para acompanhar os preparativos do 27º Congresso Mundial de Arquitetos (UIA2020Rio), que acontece na capital fluminense em 2020 com o tema “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”. São esperados mais de 15.000 arquitetos de todo o mundo para o evento. “As pessoas virão porque estamos organizando um evento que será interessante, vivo e divertido. O nosso maior desafio é desenhar um congresso em que as pessoas não possam dizer não”, disse o presidente da UIA, Thomas Vonier.
 
Em outubro, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) aprovou plano para que as cidades-sedes dos Congressos Mundiais de Arquitetos passem a ser denominadas “UIA/UNESCO World Capital of Architecture”, ou Capital Mundial da Arquitetura UIA/UNESCO. “O Rio poderá ser a primeira cidade a ganhar essa hora, mas a prefeitura precisa se engajar na proposta. A administração municipal precisa apresentar projetos e planos para a cidade. Há também questões burocráticas, como assinatura de contratos com a UIA, IAB e a prefeitura”, afirmou o arquiteto espanhol Fabián Llisterri, tesoureiro da UIA. “Lidei diretamente com a UNESCO para a criação do título de capital mundial da arquitetura”, disse. Saiba mais aqui.
 
A secretária municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio de Janeiro, arquiteta e urbanista Verena Andreatta, em nome do prefeito Marcelo Crivella, reafirmou o compromisso da prefeitura com o Congresso. “O apoio foi institucionalizado, no dia 26 de fevereiro, com a criação de comissão específica para colaborar com a organização do 27º Congresso Mundial de Arquitetos”, afirmou Verena. Integram a comissão: a SMUIH, a subsecretaria de Urbanismo, o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), a Secretaria Municipal de Cultural (SMC) e a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (RIOTUR).
 

A partir da esquerda: presidente do UIA2017Seoul, Jong Rhul Hahn; tesoureiro da UIA, Fabián Llisterri; o presidente da UIA, Thomas Vonier; o secretário geral da UIA, Serban Tiganas; o presidente do IAB, Nivaldo Andrade; e o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães. (Foto: Ricardo Lopes)

 
DEBATES ESPALHADOS PELA CIDADE
As atividades do UIA2020RIO ocorrerão em três arenas: Marina da Glória, Museu de Arte Moderna (MAM) e Hotel Prodigy, anexo ao aeroporto Santos Dumont. “Um congresso que propõe discutir a arquitetura do século 21 não pode ocorrer em um centro de convenções fechado e distante da cidade”, afirmou o presidente do IAB, Nivaldo de Andrade. “Optamos em realizar o UIA2020RIO no Centro do Rio, mais especificamente no Aterro do Flamengo, cuja paisagem é tombada como patrimônio da humanidade pela UNESCO”. A maioria das atividades do congresso será concentrada na Marina da Glória. Com uma área coberta de 4.868m², o espaço poderá abrigar a área de exposições. A esplanada, com área total de 14.274m², poderá abrigar palestras magnas e apresentações de menor porte. A organização prevê a construção de estrutura temporária no local. O acesso do público ao espaço se dará pelo estacionamento, onde será instalada uma feira de material de construção. A marina vai abrigar também a sala de imprensa. A proposta de ocupação do MAM, projeto do arquiteto e urbanista Affonso Reidy, prevê a utilização do pilotis e do salão fechado para exposições, debates e apresentações.
 
Os Armazéns do Píer Mauá foram os que mais chamaram a atenção da missão da UIA no Rio de Janeiro. “Os armazéns foram um conjunto fantástico para a realização de exposições, culturais e para apresentação dos trabalhos dos estudantes dos cursos de Arquitetura e Urbanismo”, afirmou Jong Rhul Hahn. Vonier avaliou a Praça Mauá e os armazéns como espaços de grande interesse dos participantes do UIA2020RIO. Apesar de descentralizar o congresso em três arenas, a mobilidade entre os espaços não será problema. “O hotel, o MAM e a Marina da Glória, apesar de separados, estão próximos uns dos outros. Providenciaremos também transporte exclusivo para circulação dos congressistas entre as arenas”, explicou o comissário geral do UIA2020RIO, Anderson Fioretti. O Comitê Executivo do UIA2020RIO está já em contato com os principais equipamentos culturais localizados no eixo da Avenida Rio Branco para integrarem suas exposições ao congresso. Saiba mais aqui. 
 
A organização do UIA2020RIO é compartilhada por dois importantes atores: Comitê Executivo e SRCOM. A governança e todas as questões instituições estão a cargo do comitê. A execução e operação do evento é de responsabilidade da SRCOM. A empresa, liderada pelo cenógrafo Abel Gomes, é reconhecida pela produção de grandes eventos artísticos, entre eles a abertura do Jogos Olímpicos de 2017. A parte de turismo receptivo, como compra de passagens e hospedagem, é de responsabilidade da empresa Blumar, uma das maiores do país na área de eventos corporativos.
 

UIA faz visita técnica aos locais que abrigarão atividades do UIA2020RIO. Crédito: Ricardo Lopes

 
ENTIDADES NACIONAIS DE ARQUITETURA E URBANISMO
Participaram das reuniões sobre o UIA2020RIO O presidente da UIA, Thomas Vonier, o secretário geral Serban Tiganas, o tesoureiro Fabián Llisterri e o arquiteto sul-coreano Jong Rhul Hahn, presidente do UIA2017Seoul. Pelo lado brasileiro, estavam presentes os organizadores do Congresso, além de representantes das entidades nacionais de arquitetura e urbanismo e do governo municipal e federal. Para o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães, o envolvimento das comissões de Ensino e Formação, de Relações Internacionais e de Exercício Profissional do Conselho, além da construção conjunta do evento com as entidades, demonstra o engajamento de todos para com o sucesso do congresso.
 
Participaram das reuniões: o presidente da Federação Nacional dos Arquitetos (FNA), Cícero Alvarez, o presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea), Edison Borges Lopes, o presidente da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Abea), João Carlos Correia, a vice-presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (Abap), Luciana Schenk, e o representante da Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (Fenea), Marcos Antonio Francelino da Silva. Saiba mais aqui. 
 
Fonte: CAU/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close Search Window