CAU/UF, Empreendedorismo, ENTREVISTAS, EVENTOS, EXERCÍCIO PROFISSIONAL, RECENTES, Reserva Técnica|

Dando continuidade ao calendário de reuniões do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CAU/AL) com os principais programas e associações que promovem o desenvolvimento a arquitetos e lojistas do estado de Alagoas, representantes do CAU realizaram mais uma reunião.
 

 
 
Desta vez, o coordenador da Comissão de Ética e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CED-CAU/AL), Hermes Campêlo, os Conselheiros Daniel Lemos e Edgar Filho, juntamente com o Diretor Norlan Dowell estiveram reunidos com representantes do programa Aliance, que reúne cinco lojas em Alagoas.
 
Esta ação do CAU tem caráter informativo e educacional sobre o código de ética e disciplina do CAU, Código do Direito do Consumidor e as boas práticas nas relações entre especificadores e fornecedores.
 

 
De acordo com Edgar Filho, a reunião possui caráter orientativo. “Nestas visitas nós primeiramente apresentamos os pontos mais importantes do Conselho e vamos além: apresentamos também os regramentos jurídicos da nossa instituição, o nosso Código de Ética e Disciplina e alguns dos artigos do Código de Direito do Consumidor”, destaca.
 
Foram destacados o item 3.2.16 do Código de Ética e Disciplina do CAU, o inciso VI do art. 18 da Lei Federal n° 12.378/2010, os art. 4° e 6° do Código do Direito do Consumidor – CDC, e os art. 170 e 171 da Constituição Federal – CF.
 
Para o empresário Alexandre Moraes, representante do programa, é importante colaborar com este tipo de ação. “Não vamos jamais ser descortês com a categoria e é claro que vamos tentar adequar nosso programa. Entendemos que o conselho regulamenta a categoria e já entramos em contato com o nosso jurídico para que possamos tomar a melhor decisão possível”, afirmou.
 
A mensagem principal aos lojistas é de que sua loja, produto ou serviço devem ser indicados pelos arquitetos e urbanistas por suas qualidades e adequação ao projeto, única e exclusivamente, e cabe aos Arquitetos e Urbanista a cobrança justa e digna de seus honorários dos clientes. Ganha dessa forma a loja, os clientes, os profissionais de Arquitetura e Urbanismo e, claro, a sociedade, que pode confiar nas corretas orientações técnicas que recebe dos arquitetos e urbanistas.
 
Fonte: CAU/AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close Search Window